Foto:Divulgação

A Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil decretou e reconheceu, nesta sexta-feira (20), situação de emergência de três municípios amazonenses em razão do aumento brusco dos casos de malária. O quadro mais grave da doença com a incidência de infecções geradas por parasita motivou situação de emergência.

Conforme a portaria publicada no Diário Oficial da União, as cidades em situação de emergência são:

Barcelos – 2.339 casos da doença este ano
Santa Isabel do Rio Negro – 1.664 casos da doença este ano São Gabriel da Cachoeira – 8.478 casos da doença este ano

Os três municípios ficam localizados no Norte do Amazonas e na faixa de fronteira do Brasil com Venezuela e Colômbia. A maioria da população da região é indígena.

De acordo com a Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM), a situação do Alto Rio Negro se agravou pela reintrodução do Plasmodium Falciparum, que é um parasita transmitido pelo mesmo vetor da malária, o mosquito Anopheles. O parasita causa quadros mais graves de malária e risco de mortes de pessoas infectadas com a doença.

“Não é só o aumento significativo de casos, mas também ao aumento e reintrodução do Plasmodium Falciparum, que é espécie de Plasmodium que determina óbitos e casos graves. A preocupação é essa e a dificuldade da própria área.”, ressaltou o diretor presidente da FVS, Bernardino Albuquerque.

O reconhecimento da situação de emergência permitirá mais celeridade na compra de insumos para as ações de combate e diagnóstico da malária.

Este ano, uma pessoa com quadro grave de malária com infecção pelo parasita foi transferida do interior do estado para Manaus e sobreviveu por ter recebido o tratamento rapidamente.

As ações de combate ao mosquito vetor e diagnóstico da malária já estão sendo executadas, de acordo com a FVS-AM. Porém, o trabalho será intensificado.

Amazonas

O Amazonas liderou a incidência dos casos de malária entre os estados brasileiros e concentrou maior número de casos da doença em 2017, segundo o Ministério da Saúde. Dos 193.876 casos de malária registrados no Brasil, 41,8% dos diagnósticos são de pessoas infectadas nos municípios amazonenses. Em 2016, foram registrados no país 129.248 casos de malária.

Manaus e outros nove municípios do Amazonas concentram a maioria dos casos de malária registrados no estado em 2018. Três cidades da Região Metropolitana da capital estão na lista de maior incidência da doença. Nos dois primeiros meses do ano foram registrados 11.707 casos de malária no estado.

COMPARTILHAR