FOTO: DIVULGAÇÃO/ALEAM

Ocupando a tribuna da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam), durante o pequeno expediente desta terça-feira (6), o presidente David Almeida (PSB) refutou informação veiculada na mídia de que estaria atuando em favor de uma candidatura à presidência da Casa, e também de que estaria trocando o seu partido, o PSB, para se filiar a outra sigla. David anunciou para esta quarta-feira (7), a votação de mais uma pauta de matérias, com destaque para Projeto de Lei do Tribunal de Contas do Estado (TCE-AM).

“Fui surpreendido na manhã de hoje com uma notícia sobre uma possível saída minha do PSB, e quero deixar registrado aqui a minha gratidão, o respeito que tenho pelo PSB, partido que me deu a possibilidade de disputar a eleição para o cargo de governador do meu Estado”, disse David, reafirmando que tais informações são apenas especulações da mídia. Com relação à presidência da Assembleia, o presidente David Almeida disse apenas que não é candidato nem eleitor no processo, que tem três colegas deputados na disputa, aos quais já expressou que “gostaria de ter três votos para votar um em cada um deles”. Mas esse assunto, segundo David, é para o colégio eleitoral de 24 membros que irá fazer a escolha do novo presidente da Assembleia. “Eu desejo êxito e sucesso ao Serafim, ao Belão e ao Josué, que ora postulam o cargo de chefe do Poder Legislativo amazonense”, sintetizou.

Votação

Em seguida o presidente fez um apelo aos deputados no sentido de matérias, onde destacou os Projetos de Lei nº 165/2018, do TCE-AM, que dispõe sob re a revisão geral anual dos vencimentos e proventos dos servidores públicos ativos e inativos e pensionistas do tribunal; e Projeto de Lei nº 166/2018, do TCE-AM, que modifica as leis nº 4.375, de 19 de agosto de 2016 (institui o Fundo de Apoio ao Exercício do Controle Externo – FAECE, vinculado ao TCE), e n. 4.437, de 13 de janeiro de 2017, que institui o Fundo de Fomento à Atividade Legislativa, vinculado à Aleam.

O presidente David Almeida lembrou ainda que tem a tarefa de presidente da Casa até o dia 31 de janeiro de 2019, período em que terá de concluir as obras que estão sendo realizadas, compreendendo a reforma de algumas estruturas do plenário, do estacionamento e a construção da passarela coberta interligando os prédios da sede do Poder. “Nós temos de implantar, a partir de 1º de janeiro, a digitalização de todos os processos, o que representa um salto de cem anos na modernização. Nós somos um dos poucos parlamentos que ainda não temos os processos digitais”, finalizou.

COMPARTILHAR