Em Manaus, o número de homicídios caiu 11,2% entre os meses de janeiro e julho deste ano na comparação com igual período de 2017, conforme dados estatísticos da Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM). Nesse período, foram 530 homicídios, a maioria com características de execução, contra 597 do ano passado.

O secretário de segurança, coronel Anézio Paiva, afirmou em entrevista coletiva na manhã desta quinta-feira (09/08) que o combate à criminalidade tem ocorrido de forma integrada, com ações ostensivas da Polícia Militar e investigativas da Polícia Civil. “O combate está sendo feito pelas forças de segurança e reflete nessa queda no número de homicídios no acumulado do ano. Já em agosto, os nossos levantamentos apontam para uma queda em comparação com igual período do ano passado”, afirmou Paiva.

O trabalho integrado das Polícias Civil e Militar resultou na prisão de 319 acusados de homicídios só em 2018. Na Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), como resultado do trabalho de uma força tarefa na unidade, houve aumento no número de inquéritos concluídos e remetidos à Justiça estadual. Até o mês passado, foram 534 inquéritos encaminhados ao Judiciário.

Em julho, foram registrados 94 homicídios na capital amazonense, 6,9% menos que no mesmo período do ano passado. No mês foi colocada em prática uma nova estratégia para combate aos crimes. Além de reforço policial nas ruas, o secretário de segurança, coronel Anézio Paiva, determinou a montagem de Ação de Investigação, pela Polícia Civil, para identificar e prender autores de homicídios registrados na cidade. Coordenados pela Delegacia Geral da Polícia Civil, 34 equipes de delegados e investigadores vêm acompanhando os casos com o objetivo de dar maior celeridade na elucidação dos crimes. Quem tiver informações que ajudem a esclarecer os casos pode fazer denúncias anônimas por meio do telefone 181, o Disque-Denúncia da Secretaria de Segurança.

De acordo com o comandante da Polícia Militar, coronel David Brandão, a população deve continuar acreditando no trabalho do sistema de segurança. “Se você tiver informações que ajudem as polícias, faça a denúncia. Você não será identificado e ajudará a efetuar as prisões”, afirmou. Também presente da entrevista coletiva, o delegado geral da PC, Mariolino Brito, destacou o dinamismo do sistema de segurança para combater a criminalidade. “Segurança pública é um processo dinâmico e requer soluções dinâmicas.

A SSP organizou um procedimento de investigação e todo o sistema está dando uma resposta decente para a população”, afirmou. Recompensas – Além da Ação de Investigação, a Secretaria Executiva Adjunta de Inteligência (Seai), braço investigativo da SSP, ofereceu uma recompensa financeira para quem fornecer informações que levem à prisão de suspeitos ligados à organização criminosa que atua no Amazonas e envolvidos em dezenas de assassinatos.

Dos principais suspeitos de envolvimento nos crimes, cinco ainda estão sendo procurados. Com oferta de recompensas financeiras, a Seai busca por informações que levem à prisão Adalberto Salomão Guedes da Silva, vulgo Salomão, Alexsandro Oliveira dos Santos, vulgo Sandrinho, Bruno de Souza Carvalho, vulgo Bruno Fiel, Johnson Alves Barbosa, vulgo Playboy, e Kaio Wuellington Cardoso dos Santos, vulgo Mano Kaio. Juntos, estes criminosos respondem por 76 processos em andamento na Justiça do Amazonas por crimes como tráfico de drogas, roubos, organização criminosa e homicídios, conforme levantamento da Seai.

Na última quinta-feira, uma ação conjunta da Secretaria de Inteligência e do Departamento de Repressão ao Crime Organizado (DRCO) prendeu Alexandre Alves da Silva, 23, o ‘Cagão’, em Teresina (PI). Ele era um dos 35 foragidos do Centro de Detenção Provisória Masculino 2 (CDPM 2), desde maio, e está ligado a pelo menos 12 homicídios, além de ser investigado por envolvimento em outros 20 casos. Além da prisão de homicidas, o trabalho policial no período gerou outros resultados positivos. Em 15 dias, a Operação Hórus da Polícia Militar prendeu 94 infratores, apreendeu 37 armas de fogo, recapturou dois foragidos, recuperou 38 veículos e apreendeu mais de 500 quilos de entorpecentes.

A Secretaria Executiva Adjunta de Operações (Seaop), braço operacional da SSP, prendeu 19 infratores e nove armas de fogo. Em uma das ocorrências, foi presa uma quadrilha com seis armas, munições e drogas no bairro Nova Cidade, na zona norte, suspeita de envolvimento em homicídios. O grupo, formado por quatro pessoas com idades entre 21 e 25 anos, estava com duas pistolas PT 840, dois revólveres calibre 38 e duas espingardas (calibre 20 e 16), munições de calibre 20, 38, .40 e 9mm. Prisões – O trabalho conjunto das Polícias Civil e Militar e das Secretarias Executivas Adjuntas da SSP vem resultando na identificação e prisão de suspeitos de envolvimento em homicídios, tanto mandantes quanto executore

COMPARTILHAR