Fotos Lton Santos / Semed

Aproximadamente 200 alunos do Programa Municipal de Escolarização do Adulto e da Pessoa Idosa (Promeapi), coordenado pela Secretaria Municipal de Educação (Semed), são alfabetizados por meio de caça-palavras. O método inovador foi desenvolvido e o material confeccionado pelos próprios professores do projeto, que já atendeu mais de sete mil alunos desde a sua criação, em 1999.

No Centro Social e Educacional Lago do Aleixo (Cesela), localizado no bairro Colônia Antônio Aleixo, zona Leste de Manaus, os 35 alunos, que têm entre 50 a 84 anos, começaram a usar o material e os resultados já podem ser identificados. A professora Rita Auxiliadora dos Santos desenvolveu o método para que o ensino fosse feito de forma divertida e tornando mais simples a identificação de letras, sílabas e palavras, por meio de figuras, facilitando a leitura.

“Os alunos têm dificuldades em reconhecer as palavras, usando as figuras fica mais fácil para eles. Já conseguimos formar frases e até textos. Com isso, a turma já mostra uma grande evolução, com muitos já estão lendo e escrevendo”, afirmou a professora Rita dos Santos.

Cleto Aquino, de 68 anos, parou de estudar aos 19 e hoje está na 3º fase do programa, que corresponde ao 4º e 5º do Ensino Fundamental, já se preparando para seguir no ensino regular. De acordo com ele, voltar a estudar o livrou de uma depressão. Animado, ele exaltou o trabalho feito pela professora. “Ela tem toda  paciência com a gente e isso me ajudou bastante, voltei a lembrar de muita coisa que já tinha esquecido. E, estar aqui, conversando com os meus amigos, tem me ajudado muito depois que eu perdi uma filha”, comentou.

Sobre o Promeapi 

O Programa atende, atualmente, 530 alunos a partir de 35 anos que não tiveram oportunidade de concluir os estudos no período e idade corretos. As aulas do Promeapi funcionam em 30 espaços não formais como: cozinhas comunitárias, Unidades Básicas de Saúde (UBSs), Associações de Bairro, Igrejas Católicas, Centro de Referência de Assistência Social (Cras) e na Secretaria Municipal de Limpeza Pública (Semulsp).

O Programa também oferece ações sociais como passeios turísticos e de saúde, como o mutirão oftalmológico, onde atendeu mais de 150 idosos com problemas de catara e necessitavam de procedimento cirúrgico. “Na verdade, o Programa é uma inclusão que beneficia a pessoa adulta e o idoso que, por algum motivo, não conseguiram completar os estudos”, mencionou a coordenadora do Promeapi, Clélia Maia.

De acordo com ela, métodos diferentes de ensino, como passeios, atendimentos médicos e, mais recentemente, o uso de caça-palavras, são importantes para obter a atenção dos estudantes e o interesse em sala de aula.

 

— — —

COMPARTILHAR