Publicado em: 14 de Setembro de 2017 11:40

Ao longo de oito noites, bois-bumbás e grupos folclóricos da Categoria Ouro do festival irão se revezar na arena do Centro Cultural dos Povos da Amazônia, no Distrito Industrial

FFAM-01 FOTO Divulgação-Secretaria de Cultura do Amazonas
FOTOS: DIVULGAÇÃO/ SECRETARIA DE ESTADO DE CULTURA

Bois-bumbás, danças, quadrilhas, garrotes, cirandas, cacetinhos e tribos vão se revezar nas apresentações do 60º Festival Folclórico do Amazonas, que iniciam na noite de sábado (16), na arena do Centro Cultural dos Povos da Amazônia. Ao todo, 72 grupos folclóricos de 17 modalidades da Categoria Ouro exibirão suas cores, trajes típicos e coreografias para o público do evento, que segue até 23 de setembro. O festival tem patrocínio do Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Cultura.

Na arena, as associações folclóricas locais irão apresentar ao público um pouco da riqueza e da expressividade das culturas populares amazônicas, brasileiras e mundiais. Aí se incluem danças tradicionais – Dança Alternativa, Dança Nordestina, Dança Nacional e Dança Internacional –, Garrotes – Tradicional e Regional –, Quadrilhas – Cômica, Tradicional e de Duelo –, Cirandas, Cacetinhos e Tribos, mais Bois-Bumbás nas modalidades Master A, Master B, Regional e Tradicional.

A programação da noite de abertura do Festival inicia às 19h, com apresentações de 12 grupos: Evolução Nativa Tribal (Boi-Bumbá Regional), Independente do Coroado (Ciranda), Cia. Artística Caracalla (Dança Internacional), Fofas Sim, Bibas Não (Quadrilha Cômica), Cangaceiros do Bale Perdido (Dança Nordestina), Junina Caipira Na Roça Da Betânia (Quadrilha Tradicional), Caipira na Roça (Quadrilha Tradicional), Diva na Roça (Quadrilha Tradicional), Manaós (Cacetinho), Show Funk na Roça (Dança Alternativa), Força Jovem (Ciranda) e Café XV de Outubro (Dança Nacional).

Na abertura e nas demais noites do Festival, cada apresentação terá 30 minutos de duração, à exceção das associações folclóricas das categorias Boi-Bumbá Master A, que terão até duas horas para evoluir na Arena, e Boi-Bumbá Master B, com até 1h30 de apresentação, cada. Nesta edição, a mostra de grupos folclóricos terá caráter não competitivo, exceto para as categorias Boi-Bumbá Master A e B.

Boas expectativas – Embora realizado fora de época, o Festival deste ano tem como marca a superação de adversidades, como assinala Alvacir Siqueira, representante do Boi-Bumbá Corre Campo e representante da modalidade Boi-Bumbá no G7, que reúne folcloristas de todas as modalidades da Categoria Ouro do Festival.

“Vai ser um festival grandioso! Os grupos irão completos e bem preparados, inclusive os grandes grupos tradicionais, alguns dos quais resistem bravamente. É o caso do Corre Campo, que participou de todos os festivais, com 75 anos de uma história que vem até antes do evento”, afirma ele, que conclui: “E esse 60º Festival é um talismã para todos os folcloristas: são 60 anos de Festival, vindo desde a Praça General Osório. É um evento de suma importância para a população e para o Estado”.

Apoio à cultura popular – A nova edição do Festival Folclórico do Amazonas conta com recursos garantidos pelo Governo do Amazonas, que disponibilizou um montante de R$ 800 mil para apoio a grupos e bumbás participantes do evento. Parte da verba é oriunda de parceria com a Coca-Cola. O governador David Almeida salienta a importância das expressões culturais populares para a população do Estado.

“As manifestações culturais de um povo devem ser preservadas, inclusive porque elas criam possibilidade de gerar atividade econômica nos municípios”, afirma Almeida. Segundo ele, o apoio é um reconhecimento ao trabalho feito pelas associações. “Durante todo o ano, eles chegam nesse momento e têm a oportunidade de se apresentar, de concorrer. E estamos trabalhando com responsabilidade social, ajudando essas pessoas a continuarem fomentando a prática do folclore e a da cultura”.

O apoio ao Festival e aos grupos folclóricos, segundo o secretário de Cultura, Robério Braga, assinala o compromisso da Secretaria com todas as formas de expressão artística e cultural. “A Secretaria não realiza apenas o Festival Amazonas de Ópera, como ainda realiza e apoia eventos nas áreas de Música, Teatro, Audiovisual, Artes Visuais, entre outros segmentos. No terreno da cultura popular, damos suporte a eventos como o Carnaval e festivais folclóricos em Manaus e no interior do Estado, além de pesquisa de manifestações populares e outras ações relacionadas”, declarou.

 

COMPARTILHAR