Foto: Socorro Maia / portaldoamazonas.com - Todos os Direitos reservados-

 

Quem nunca ao chegar de viagem do exterior não foi questionado com aquela famosa expressão: Nossa! você não comprou nada? Então olha a bronca que a americana Crystal Tadlock se meteu. Ela estava voltando de uma viagem de Paris para os Estados Unidos, mas não esperava que sua jornada iria terminar com uma multa. Ela foi taxada em US$ 500 (cerca de R$ 1730) pela alfândega americana por não declarar que estava levando uma maçã em sua mala de mão.

A americana ganhou a maçã dos comissários de bordo do voo da Delta Airlines em direção a Minneapolis, e  guardou a fruta em sua bagagem de mão para comê-la durante seu voo de Mineápolis a Denver.

Quando ela chegou no aeroporto americano, funcionários da alfândega,foram, verificar sua mala. Um agente tirou a maçã, que estava em uma sacola com o logo da Delta. Crystal então perguntou se poderia comer a fruta ou jogar fora, mas o funcionário disse que não.

“Ele me perguntou se minha viagem para a França havia sido cara, e eu disse: ‘Sim’. Eu não entendi por que ele estava me perguntando isso, então ele falou: ‘E vai ficar bem mais cara depois que eu te multar em US$ 500”, disse Crystal. “É realmente triste alguém passar por isso e ser tratada como uma criminosa por causa de uma fruta”, lamentou.

A Delta se pocisionou afirmando que incentiva que seus passageiros sigam as regras das leis de proteção e alfândega dos Estados Unidos. A alfândega declarou que não comenta inspeções específicas, mas que “todas as frutas e vegetais devem ser declaradas”.

COMPARTILHAR