FOTO: ROBERTO CARLOS/SECOM

O saldo positivo, entre abertura e fechamento de empresas no Amazonas neste ano, atesta a retomada da economia estadual. Mesmo diante da crise econômica, nos dez primeiros meses de 2018, o Estado ganhou 2.260 empresas, segundo o Relatório de Ações da Junta Comercial do Estado do Amazonas (Jucea). Setores comercial e de serviços lideram a implantação de novos negócios.

 Nesse último ano do governo Amazonino Mendes, 4.431 empresas foram inauguradas. No mesmo período analisado, 2.171 foram extintas. Sociedades empresariais e limitada (ltda) lideram os registros na Junta Comercial. Também foram anotadas sete novas empresas de sociedade anônima – uma extinção, além de 12 cooperativas – 3 dessa natureza jurídica encerradas.

 O investimento em tecnologia e em desburocratização também marcaram a Jucea na atual administração estadual, como destaca o presidente da Instituição, Antônio Lopes de Souza no Relatório de Ações da Junta Comercial.

Entre as ações com essa finalidade, destaque para três: desenvolvimento de ações no interior do Estado para descentralizar o Registro Mercantil; assinatura de convênios com órgãos federais, estaduais e municipais para acesso às bases de dados e acervos documentais da Jucea; e início do processo de digitalização do arquivo empresarial, atividade realizada em parceria com o Sebrae.

 Comodidade

No último dia 10, a Junta Comercial lançou o Sistema Rede Simples Digital – Integrar, que permite  a constituição de empresas pela internet. Além disso, os empresários podem acessar o Portal da Instituição e realizar procedimento, antes possíveis apenas na sede do órgão, gerando economia de tempo e dinheiro.

 De acordo com o presidente da Junta Comercial do Amazonas, esse Sistema já era utilizado separadamente nos Estados Minas Gerais, Ceará, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rio Grande do Sul, Roraima e Acre. O lançamento no Amazonas deve marcar a forma integrada desses Estados no sistema.

 “O profissional que estiver no Rio Grande do Sul, Ceará, Roraima, ou Distrito Federal, por exemplo, poderá executar as demandas empresarias com a Jucea do Amazonas, como se estivesse aqui no Estado. Ou seja: se você tem uma empresa com a matriz no Amazonas, ou em qualquer um desses Estados, vai poder fazer seus procedimentos pelo Integrar”, explica Antônio Lopes.

COMPARTILHAR